Vidro Comum

O vidro comum é um material cerâmico transparente, obtido a partir do resfriamento de uma massa líquida a base de sílica. É impermeável, liso e duro, porém frágil.

Ele possui baixa resistência mecânica, pode ser cortado com facilidade e, da mesma maneira, pode ser quebrado. Seus pedaços, após eventual quebra, são altamente cortantes e pontiagudos.

Podem ser de dois tipos:

método tradicional de sua produção consiste em reunir o material de sua composição, como: areia, calcário, barrilha, alumina, corantes e descorantes. Em panelões, os quais são colocados em um forno. Ao atingir cerca de 1.300°C estes materiais se fundem. Primeiro são retirados os materiais que não se misturaram e então a massa resfria até 800°C, momento a partir do qual está pronto para ser talhado pela linha de produção automatizada.

Acabamentos

• Cores: verde, bronze, cinza, incolor;

• Pode ser lapidado, bizotado, jateado, laqueado, tonalizado e pintado;

• Espessuras de 02mm a 25mm (com possibilidade de fabricação em espessuras maiores).

Vantagens

• É um material sustentável, sendo um dos materiais mais recicláveis que existe;

• Possui grande durabilidade. Não sofre facilmente ataques químicos, mantendo suas propriedades;

• Sua transparência permite a passagem de luz natural/artificial de um ambiente para o outro e integração visual;

• É um isolante elétrico;

• Material de fácil limpeza.

Desvantagens

• É frágil e pode quebrar facilmente;

• Possui peso relativamente alto.

Onde utilizá-lo?

Porta-retratos, prateleiras, tampos de mesas, aparadores e bases, etc.

Vidro Float ou Cristal

Mais de 90% dos vidros fabricados no Brasil são produzidos pelo processo de flutuação ou “float glass“. Neste processo, a matéria-prima em estado quase liquefeito – o vidro fundido – é despejado sobre uma camada de estanho também derretido. Como as duas matérias são imiscíveis (não se misturam) o vidro flutua e se espalha sobre o estanho buscando seu nível natural, e consequentemente forma uma lâmina lisa e contínua. Essa massa de vidro ao se espalhar, controlada e vagarosamente, ao longo do percurso de vários metros, esfria naturalmente.

Com esta técnica é possível criar placas de vidros de diversas dimensões e espessuras. E estas placas são normalmente utilizadas para o beneficiamento de outros vidros, como o vidro temperado e o vidro laminado.

Diferença entre: Vidro Comum x Vidro Float

qualidade óptica é a diferença mais notável. Isto é, embora a matéria-prima utilizada na fabricação destes dois tipos de vidros sejam a mesma, o Vidro Float apresenta um índice de deformação e ondulação de sua superfície muito inferior do que a do Vidro Comum, fabricado pelo processo convencional.